7 de set de 2009

A Ultima Revoada

Este relato escrevo, para a fé de todos os pequenos, para a continuidade de nossa crença, para a continuidade de nosso mundo.


A Ultima Revoada


E chegará o dia em que irmão lutara contra irmão, povo contra povo, nação contra nação. Chegará o dia em que o dinheiro não poderá mais comprar paz, que todos os pactos mágicos serão desfeitos e que a própria essência do amor se extinguira. Estamos perigosamente perto desses dias. Mas esse não será o fim dos tempos. O Tempo é muito velho pra morrer por causa de crianças perdidas... Chegará o dia em que o sol já estará vermelho, e as únicas sombras que se farão ao vê-lo serão a das ruínas do que construímos. Nesse dia, o deserto terá comido as florestas e os mares estarão secos, e toda vida, contada. Esse dia, o dia dos netos de nossos netos, será um dia de horror e glória, pois entre as frestas de seus esconderijos, eles irão ver as borboletas da ultima revoada. Elas serão o presente final de nossa adorada mãe, e cobriram o horizonte em cores radiantes. E com suas cores restaurarão aos poucos cada canto da terra, semeando a natureza novamente e trazendo de volta o brilho da fantasia. E eis que nesse dia também muitos morcegos se levantarão, e, negros como a noite, irão ao encontro as borboletas e, como já disse, será irmão contra irmão. E dessa batalha, não sobraram borboletas ou morcegos, mas de seus corpos, a gota da esperança frutificará, e os netos de nossos netos poderão enfim caminhar no jardim de um novo édem.
Todos somos borboletas e morcegos. Todos têm dentro de si a centelha divina da escolha. E por vezes pode parecer que não temos escolha, e que ser bom é ser frágil, e que cada vez existem menos borboletas do que morcegos, entretanto, é necessário que haja nesse mundo, um pouco dos dois. Procurem suas asas, seja através das palavras, da musica, de um outro alguém, não importa, achem seu motivo, sua razão, e verão quanta força cabe dentro das asas de uma borboleta. Só assim um dia poderemos voltar a ter o que estamos destruindo. Por mais trágicas que sejam as noticias, por mais irmãos que caiam antes da hora, não esmoreçam. Nós somos os filhos de Gaia, e triste é a época que vivemos, mas nosso dever, assim como o dos que vieram antes de nós é prosseguir sempre, lutar sempre.


Assim falou Visão No Fim, o pajé dos últimos dias.



Eu sei que ter esperança frente há alguns atos é complicado e que as vezes a raiva e o medo falam mais forte, mas não podemos nos abater, nem desistir, ou jamais veremos no mundo a felicidade que almejamos. Meus pensamentos ao Kizzy, e qualquer apoio que eu possa dar. Pra quem não sabe o que aconteceu, ninguém melhor que ele pra contar: http://www.kizzyysatis.blogspot.com/ .

Nenhum comentário: