21 de fev de 2008

Só uma vida para viver

Houve um tempo em que o meu passado me assombrava, e pensando bem, quem foi que disse que esse tempo passou? O que passou, ou melhor, mudou, fui eu e a minha maneira de encarar as coisas. Nesses últimos dias encontrei velhos conhecidos e lembrei de coisas que quem sabe não gostaria de lembrar. Olhei o céu. Por um momento duvidei que ele ainda fosse azul... tanto mudou... tanto mudei. Sinto saudades do colégio e da falta do que fazer depois da aula. Sinto falta do baskete, do parque, do ar que passava mais lento pelos meus pulmões. Só corria quando me dava vontade... saudade... Enquanto olhava o céu passou um avião, e tão distante estava que me lembrou aqueles que desenhava em minha infância... sinto falta de desenhar, descobrir que não desenho bem não foi tão legal afinal...Não fujo mais dos fantasmas, não fujo mais do passado, não fujo mais de nada, nem me protejo. A vida acontece. O passado sou eu, talvez um pouco diferente, mais ainda assim eu. O futuro sou eu, esperamos que melhor, mais ainda assim eu. Dou a mão para os meus fantasmas e caminho até chegar em casa. Deitamos, sim, eu e eles. Sinto no coração não mais a folga de uma criança, não mais a aflição de um adolescente, entendo melhor, vejo melhor, penso melhor. Sinto sim o peso do futuro e o frio na barriga de saber que ele não vai me esperar... Guardo na mochila (sempre companheira) os momentos felizes, escondo nas cicatrizes do tempo os momentos tristes. Vivo sem temer a morte, mas temo a falta de tempo para fazer tudo o que desejo antes dela chegar. Lembro-me da minha família, dos meus amigos, das pessoas que amo, e mesmo não acreditando muito peço em silencio para que isso nunca mude. Peço pelo bem, e peço desculpas pois um dia também já pedi pelo mal, e enquanto escrevo percebo que sou pequeno demais para tentar entender o que penso entender, pequeno demais para pedir, pequeno demais para acreditar. Uma lágrima seca escorre pelo canto do olho esquerdo.

vale a pena sempre relembrar certo?

http://br.youtube.com/watch?v=AQb0_0AIkt4

Um comentário:

- Hannah disse...

Pois te digo uma coisa:
Estou exatamente entre os fantasmas e o que você se tornou.

E ainda vou fugir dos meus fantasmas por algum tempo, porque ainda não aceito que a vida acontece e que tanto tempo já passou.